Alergia aos ácaros

Com a chegada do outono, os ácaros proliferam em ambientes fechados, húmidos e quentes. Nesta altura do ano, as pessoas passam mais tempo em casa e, por isso, estão mais expostas a fatores que podem desencadear alergias aos ácaros.

Os ácaros vivem habitualmente em colchões, mantas e edredões (o que explica que os sintomas de alergia se revelem mais agudos durante a noite), mas também em sofás, tapetes, peluches e outros ambientes fomentados pelo ser humano, que reúnem as condições de humidade, calor e o alimento de que os ácaros necessitam.

Sinais e sintomas

Os sintomas da alergia (rinite, conjuntivite, asma, reações cutâneas, etc.) dependem do tipo de alergénico e via de entrada.

A doenças alérgica mais frequentes é a rinite alérgica, afetando uma em cada cinco pessoas em todo o mundo e associando-se com frequência à asma.

Dependendo do tipo de alergénio e da via de entrada, podemos encontrar as diferentes patologias:

- Conjuntivite: Comichão nos olhos, lacrimejo, sensação de ardor ou areia no olho, rubor ocular.

- Rinite: Comichão nasal, crises de espirros, obstrução nasal (sensação de nariz tapado), corrimento nasal aquoso (rinorreia).

- Asma alérgica: Dificuldade respiratória, pieira, tosse seca e sensação de aperto no peito ou cansaço

Tratamento

O tratamento medicamentoso não se destina à alergia, mas sim às doenças por ela causadas - rinite, conjuntivite, tosse, asma, etc.. O tratamento vai apenas aliviar os sintomas destas patologias.

Uma opção muito interessante de tratamento que se pode fazer e que se destina especificamente à alergia, é a dessensibilização com imunoterapia específica com alérgenos. .

Este tipo de tratamento pode alterar o curso natural da patologia alérgica e prevenir o desenvolvimento de asma em pacientes com rinite. Tem a vantagem de ser bem tolerada pelo paciente. Trata-se de administrar doses do alergénio em repetidas ocasiões de forma continuada. Deste modo o corpo habitua-se progressivamente ao alergénio, diminuindo a sintomatologia que apresenta perante o contato com o responsável da alergia. Os sintomas aliviam-se consideravelmente, a qualidade de vida melhora, permite reduzir a toma de medicamentos e diminui o risco de outras alergias. Este tipo de terapêutica recomenda-se para tratar a alergia respiratória (a pólenes de ervas e árvores, ao pelo/caspa de animais domésticos, a ácaros e a fungos bem como a alergia ao veneno de vespas e abelhas). O tratamento costuma durar entre 3 e 5 anos.

Como prevenir ou eliminar os ácaros?

Não é possível eliminar os ácaros de forma permanente, pois os ácaros fazem parte do nosso habitat natural e vivem entre nós. Mas é possível diminuir a quantidade de ácaros.

É aconselhado seguir algumas medidas de prevenção, que contribuirão para uma melhoria significativa nos resultados do tratamento recomendado. Estas medidas de prevenção devem ser mantidas de forma rigorosa e contínua, pois o seu abandono gradual ou descuidado pode causar um agravamento dos sintomas na pessoa com alergia aos ácaros.

Os ácaros são agentes invisíveis dos quais não temos conhecimento pela falta de visibilidade e, muitas vezes, pelo desconhecimento da sua existência e do seu impacto na nossa saúde.
Se suspeita que tem alergia aos ácaros, não ignore os sintomas!

Esclareça as suas dúvidas com o seu médico alergologista, ou com o seu farmacêutico

Medidas higiénico ambientais para a prevenção da alergia aos ácaros do pó doméstico

Ventilação, temperatura e humidade

• Ventilar a casa diariamente.
• Manter a humidade ambiental abaixo dos 50%.
• A temperatura não deve ser superior aos 22º.

O quarto de dormir

• O ideal é a que a pessoa alérgica tenha um quarto individual.
• Deve evitar ter carpetes, tapetes, cortinas, peluches, livros, ou outros objetos que acumulem poeira.
• Arejar diariamente a roupa de cama e limpar o quarto frequentemente.

Armazenamento e lavagem da roupa

• Não guardar roupa húmida no armário e mantê-lo bem fechado.
• Não utilizar diretamente a roupa que esteve guardada muito tempo.
• Mudar a roupa da cama frequentemente e lavá-la a 60ºC.
• Os lençóis, cobertores e pijamas deverão ser de fibras sintéticas, facilmente laváveis e devem ser limpas frequentemente.
• Limpar o pó com um pano húmido e sem varrer, com um aspirador que tenha um filtro HEPA ou, na sua ausência, usar a esfregona.
• Recomenda-se realizar a limpeza de manhã e preferencialmente com a janela aberta, se possível com a pausa alérgica ausente.

Limpeza do pó

• Limpar o pó com um pano húmido e sem varrer, com um aspirador que tenha um filtro HEPA ou, na sua ausência, usar a esfregona.
• A pessoa alérgica deve ausentar-se e a limpeza deve ser feita de manhã e com a janela aberta.

Capas protetoras antiácaros para almofadas e colchões

• É altamente recomendável a utilização de capas protetoras antiácaros que cubram totalmente o colchão e a almofada de forma hermética, uma vez que atuam como uma barreira que separa os ácaros, evitando o contato com a pessoa alérgica.

Animais domésticos

• A presença em casa de animais domésticos, especialmente cães, pode favorecer o aparecimento dos ácaros, pelo que é desaconselhado que estejam dentro de casa. A pessoa alérgica deve reduzir o seu contato com os animais domésticos e a sua entrada no quarto.

O carro

• Aspirar os tapetes do carro para evitar a acumulação dos ácaros e utilizar preferencialmente o ar condicionado com filtro antiácaros.